quarta-feira, julho 12, 2006

A compota de pêras

Conforme escrevi há alguns dias, disse que tinha iniciado uma compota de pêras de Castel, sem estar certo se sairia bem ou não. Saíram como nunca fiz ideia que saíssem, muito aromáticas no fruto e na calda, e logo alguém me disse que ligariam muito bem com natas batidas, no que concordei. Agora ando a magicar numa sobremesa que leve as pêras, a calda, as natas, forçosmente uma base de bolo, de génoise ou de outro. A seu tempo virá, há que deixar amadurecer as ideias, que as pêras estão seguras nos seus frascos, com um vácuo mais forte que o da própria fábrica, quando os encheram pela primeira vez.

Nas imagens ao lado, pretendo mostrar a evolução da calda e da cor das pêras, do 2.º dia ao 8.º, tendo a compota descansado no 7.º dia (isto nada tem de bíblico...) e acondicionada no dito dia oitavo, esta do dito dia oitavo sou eu com exercícios de estilo, risos.

Descobri que as pêras, tendo sido compradas em Espanha e aí denominando-se de Castel, se chamam por cá pêras pérola.

Este blogue dá conta, para a pêra em causa, de nada mais que cinco variedades e sua origem:

Pérola – Alcobaça; pérola amarela - vário locais e produtores; pérola branca – Minho; pérola de Leiria – Leiria; pérola parda - Cômoros de Cima, Ansião. Nos comentários, alguém diz que esta pêra é muito aromática, muito mais que a pêra rocha, confirmando uma das razões por que a escolhi. A outra foi o seu pequeno tamanho.

Lembro este método, que faz realçar o aroma mais do que o dos próprios frutos em fresco. Muitas vezez inventamos a pólvora. Nunca vi, porém, em tantos livros que tenho corrido e em páginas da Internet, um modo sequer parecido de preservar, em compota e com igual efícácia, os aromas do fruto e a sua integridade, que assim ficam presos, como nesse frasco que serviu originalmente a mermelada de naranja amarga.

Etiquetas:

4 Comments:

At 13/7/06 09:17, Blogger colher-de-pau said...

Essas pêras... hummm!!! Eu por acaso até as estava a imaginar embrulhadas em massa filo, e depois de lourinhos comidos ainda mornos, com calda a escorrer para cima de umas natas batidas!!!
Faça lá a sua sobremesa com elas e depois conte-nos...!

 
At 14/7/06 07:56, Blogger o avental said...

Não é nada má a sua ideia com massa filo. Fez-me pensar noutra massa e nessa mesma. Enfim, é preciso amadurecer as ideias, porque guloseimas destas dão muito trabalho como sabe :)

 
At 5/8/07 15:46, Blogger Clarinda said...

Gostaria de saber se posso usar peras wilhams ou mesmo portuguesas que aqui no Brasil são muito duras.
e se tem que estar maduras ou meio verdes?
Beijoks da Claravdgq

 
At 5/8/07 15:59, Blogger Clarinda said...

Ainda sobre as peras, Clarinda manda seu email pra resposta
clara.santista@gmail.com
pois o outro saiu com umas letritas a mais.pressa né?
Beijocas da Clara

 

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home