quarta-feira, março 28, 2007

Dica esquecida no pudim de pão com café

Uma maneira rapidíssima de separar as gemas, útil sobretudo quando são muitas, e para acabar de vez com a falsa dança de galo selvagem enamorado, que as gemas parece fazerem de metade para metade da casca do próprio ovo, é partir os ovos e depor claras e gemas com cuidado numa vasilha de fundo redondo. Com cuidado, quer dizer, abrir os ovos junto à superfície onde os vai colocar. Se não tem confiança na sua frescura, já sabe: passe-os primeiro por uma tigela. Depois, com a ponta dos dedos em concha, ligeiramente separados, colhe-se gema a gema, apartando-as de cada vez da clara que trazem agarrada e que se escapa entre os dedos. É um ai e acaba-se com o tédio de andar a saltar com uma gema de casca para casca.

Vi este modo de separar as gesmas quando olhei os interiores de uma pastelaria em Tentúgal. Uma mulher colhia inúmeras gemas de uma grande vasilha, para fazerem o recheio dos muito celebrados pastéis daquela terra: bem superiores, e só parecidos à vista, são os de Vouzela, certamente mais antigos. Lembre-se: cada vez menos o mais famoso é o melhor.

Etiquetas:

2 Comments:

At 28/3/07 10:45, Anonymous com.er said...

Também separo as gemas sempre assim, mas ainda mais simplesmente: parto o ovo e separo as metades de casca com a mão direita (esta é que é a parte difícil) e despejo logo para a mão esquerda, com os dedos ligeiramente afastados, como descreve.

 
At 30/3/07 01:53, Anonymous O avental said...

Com.er, também parto os ovos com uma mão. Sucede é que quase me deixei disso, afinal não sou nenhum cozinheiro, sou um cidadão que cozinha aos fins de semana ou pouco mais.

Não conhecia esse método de separar as gemas, embora me pareça mais rápido abrir os ovos com uma mão para a vasilha e depois colher gema a gema.

No entanto, o método mais rápido de todos que conheço é com uma separadora industrial de gemas. Não cabe é nas nossas cozinhas.

 

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home