segunda-feira, março 05, 2007

Uma pá de borrego da Catalunha # 2

Em relação ao prato original, em vez de feijão branco, usei feijocas; em vez do tomate médio, optei por tomates-cereja vermelhos, e acrescentei míscaros, que guardo congelados. Fui ao jardim e cortei um ramito de rosmaninho já florido.

Assei a pá de cordeiro só temperada com sal, não sei se gema do mar jurássico, se do mar que foi de Posídon, com flor de sal é que não. Depois esfreguei-a com azeite de Foz Côa, o fundo do tabuleiro com dois milímetros de água, que fui sempre repondo à medida que se evaporava -uma dica para formar o molho de muitos assados de carne. A temperatura do forno, primeiro no máximo (250ºC), depois passada para 220ºC.

Não gosto deste tipo de cordeiro com o ponto de cocção em carne rosada– cordeiro ibérico, chamemos-lhe assim - . Em minha opinião perde muito. Carne suculenta é outra coisa. O ponto rosado vai bem, segundo o meu gosto, em cordeiro de carne, assim chamado quando de raças aptas a uma grande produção muscular, sobretudo inglesas e francesas, já citadas neste blogue, a que chamei cordinovillhos. Donde parece legítimo concluir-se que dogmas culinários ou outros quaisquer não são boa ideia e, muito menos, companhia que se aguente.

Quase assada a pá, retirei o molho e concentrei-o alguma coisa, não muito, e no tabuleiro pus uns quantos tomates-cereja, e levei-os ao forno. Na chapa de grelhar assei uns míscaros.

Entretanto, as feijocas que tinham ficado de molho desde a véspera, estavam já com a casca esticadinha, e foram cozidas com salsa, tomate, alho, água e sal, em lume lento.

Montei o prato como se vê, pondo o molho sobre as feijocas. Não temperei nem tomates nem míscaros, em lado nenhum entrou pimenta preta, e o alho que cozera com as feijocas deu aroma suficiente a tudo.

Etiquetas:

6 Comments:

At 6/3/07 11:09, Blogger Paula said...

Fiquei com fome, assim de repente!...

 
At 6/3/07 13:44, Blogger Goretti said...

Uma das recordações da minha infância era um arroz de míscaros que os meus primos apanhavam não sei aonde... Comíamos, deliciávamo-nos e depois gostavamos de nos sentar na rua a ver se nenhum de nós morria envenenado!

 
At 8/3/07 23:49, Blogger Chef Janvier said...

Saudades de míscaros! Tenho a certeza que já lá vão mais de 20 anos que não como míscaros. Só cogumelo industrial - o champignon criado em tabuleiros e prateleiras dentro de armazéns... E onde se compram míscaros?

 
At 12/3/07 17:24, Blogger o avental said...

Paula, por acaso foi a pensar nas suas feijocas de há uns meses que elas entraram :)

 
At 12/3/07 17:26, Blogger o avental said...

As crianças são mesmo cruéis, Goretti :))

 
At 12/3/07 17:28, Blogger o avental said...

Chef Janvier, lá para Outubro/ Novembro mando-lhe uma mão cheia deles, se ainda tivermos os blogues. Não me esqueço.

 

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home