domingo, junho 10, 2007

Bifes do acém na brasa com molho mirandês

Agora ando virado para comeres mais deste nosso mundo. A imaginação também exige - depois de se imaginar - muito trabalho e, francamente, trabalho é coisa que me sobra e que falta a muitos que ganham a vida sem ele. Mas não é só isso, nem sequer é principalmente isso. É que sou dado a ondas. A onda das compotas (a que este estou a torcer o nariz este ano), a onda dos licores, a onda da cozinha criativa, que agora me parece mais na gaveta - até um dia destes.

Assim, foi um fartar vilanagem hoje ao almoço, com dois bifes do acém de 650 g cada e 2 cm de alto, dos cinco que pedi para me cortarem com a altura do meu dedo polegar e que pesaram no total 3,5 kg, sendo portanto os outros três que ficaram mais avantajados. A 6,20 €/kg não se pode dizer que seja um exagero para os tempos que correm, exagero é o peso deles. Também pelo preço destes dois, nem dava para comer uma reles chulipa de novilho num restaurante manhoso.

Pensara nuns bifes um pouco à Padre Piedade, no entanto, mais uma vez, a pouca vontade de trabalhar me empurrou para uma solução mais simples.

Enquanto o meu precioso ajudante acendia o carvão numa pequena churrasqueira que comprei trasanteontem no Lidl por menos de 4 € (salvo erro), pus, sem pena, azeite mais que extra virgem de Foz Côa no fundo de uma caçarola, laminei 4 dentes de alho, e levei-a ao lume para levantar fervura e deixar fritar um pouco os alhos sem aloirarem. Juntei então, em relação ao azeite, mais ou menos 1/3 de vinagre tinto homemade (ficou como se vê na imagem acima), temperei com sal fino e fui agitando sempre a caçarola sobre o lume para que o vinagre se reduzisse para cerca de 1/3 da quantidade original. Pus de lado.


Prefritei, melhor, precozi na fritadeira, em óleo novo, uma batatas aos palitos grossos, e porque eram aos palitos grossos de batatas novas, e ainda por cima mais próprias para cozer (de polpa mais dura), baixei a temperatura aí para uns 130ºC, com o que me daria muito bem.


Com as brasas bem vivas e bem junto a elas, levei os bifões a grelhar uns 2:30 minutos de cada lado. Tiraram-se para fora, temperaram-se com flor de sal, puseram-se na travessa de serviço, e ficaram a repousar, enquanto se fritavam agora as batatas a 180ºC e se aquecia o molho. Deitou-se o molho a ferver sobre os bifes e dispuseram-se as batatas fritas na travessa.


Et voilà! Souberam pela vida, acompanhados de um belo Quinta da Canameira tinto 2004, de 13,5º (Douro), da mesma quinta do azeite que neste blogue se usa.

Etiquetas:

14 Comments:

At 10/6/07 21:34, Blogger Caiano Silvestre said...

Magníficos bifes!
Malditos diabetes.

 
At 10/6/07 21:48, Blogger Cláudia A. said...

A carne ficou belísima mas o prato azul e branco me fez suspirar.

 
At 10/6/07 22:15, Blogger valentina said...

Ah que maneira fantástica de preparar estes bifes.estou encantada.

 
At 10/6/07 23:59, Anonymous Anónimo said...

Mas deixa as batatas e come os bifes, Caiano Silvestre. Não pode ser assim?

 
At 11/6/07 00:03, Blogger o avental said...

Claudia A, então quando abrirem o Restaurante Blogosférico, a gente come a carne e Vc fica com a travessa, tá? :)

 
At 11/6/07 00:05, Blogger o avental said...

Bons olhos a vejam por aqui, Valentina. Seja bem-vinda. Pode fazer estes bifões nesse lado do mar, o pessoal vai gostar mesmo :)

 
At 11/6/07 14:08, Anonymous Pedro said...

Aqui na zona usa-se esse molho de uma maneira diferente. O bife (posta) é mergulhado no molho assim que sai das brazas. O molho costuma estar num recipiente de metal junto das brazas de maneira a ficar quente. Há tambem por vezes o custume de colocar uma braza no molho para lhe dar um gostinho... :)

 
At 11/6/07 17:58, Anonymous o avental said...

Não foi a posta que quis fazer, Pedro, apenas bifes do acém, aproveitando o molho da posta mirandesa e, no mais, guiando-me pelo modo de grelhar um bife alto (o sal à saída, o descanso de 5 minutos, o molho depois). Daí ter classificado o prato como "Recriações - carnes" (ver no fundo do post).

Aponto com imenso agrado a sua informação de se pôr uma brasa no molho. Veja que também se aromatiza com uma brasa o azeite para temperar os acompanhamentos dos grelhados ou para qualquer outro fim que se deseje. Agradeço-lhe o precioso comentário.

 
At 11/6/07 20:01, Blogger Goretti said...

Depois de prontos, ficaram com um ar excelente! Marchavam, com prazer, agora que está quase na hora de jantar...

 
At 11/6/07 21:34, Anonymous Anónimo said...

3,5 kg de bife! Convidou todos os seus vizinhos?...

 
At 11/6/07 22:09, Anonymous o avental said...

Não, anónimo, somos uma família muito prolífica porque cumprimos as orientações da Igreja quanto à contracepção, e as crianças precisam muito de proteínas de qualidade. Depois lê as coisas em diagonal e não vê que desses quilos só usei uma terça parte. É isso aí, como dizia o outro.

 
At 11/6/07 22:12, Anonymous o avental said...

Goretti, ainda faço outro concurso, agora com bifes destes :)

 
At 11/6/07 22:13, Anonymous o avental said...

Caiano Silvestre, esse primeiro anónimo sou eu.

 
At 12/6/07 10:58, Blogger Caiano Silvestre said...

Sabe que a nós, diabéticos, estão vedadas as proteínas em grande quantidade, pese embora a excelsa qualidade.

Teria que deixar as batatas e de bife consumir não mais que 60 grs.

E não há nada mais incomodativo que um comensal que... não come!

 

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home