quarta-feira, outubro 03, 2007

Bife do acém com molho mirandês

Este bife, com mais de 700 g e com 4 cm de altura, deu para dois bons garfos, um deles este vosso cozinheiro nas horas vagas.

O acém é uma bela carne para bifes, tenra, suculenta e saborosa, quando percorrida por veios de gordura como este. Os tão cantados e bem pagos bifes de lombo, de lombinho como nesta cidade lhe chamam, o filet mignon dos franceses, andam bem longe em sabor dos do acém, e a diferença em tenrura não é tanta que se pague por ele 4 e 5 vezes mais o preço do acém, que varia, do comprado por mim, entre os 4,5 e 6,20 €.
Há algum tempo que, sendo um alegre consumidor de bifes, não ponho o dente num desses bifes de lombo. Não só não me caem os parentes na lama, como pagava este do acém pelo preço do filet migon.

Grelhei o bifão na chapa, a alta temperatura, um lado e outro bem selados, como se pode ver nas imagens. Desta vez, servi-me do termómetro para o ter al punto, que a carne estava gelada, além de o bife ser desusadamente alto, e não quis correr riscos de estar frio no meio, como já me sucedeu em mais que um restaurante. Aos 52ºC no seu interior, desliguei, e pus o bife num prato, temperando-o de um lado e outro com flor de sal e ficando à espera 5 minutos

Laminara, entretanto, dois dentes de alho grandes e pusera-os numa caçarola com azeite virgem extra a ferver um nada, sem os ter deixado ganhar a mínima cor.

Juntara depois um gole de vinagre tinto caseiro (caseiro, só porque é mais forte). Levei a lume brando a ferver até o vinagre estar cozido e disfarçada a sua acidez com o sabor do alho.


Deitei o molho quente sobre o bife, que esperava, e depois foi dividi-lo em dois e comê-lo. Só com pão, que a urgência da larica não admitia batatas fitas, nem eram precisas para nada. Os pratos ficaram limpinhos com as sopinhas no molho. Parece mal, mas soube bem.

Etiquetas:

18 Comments:

At 3/10/07 13:06, Blogger Elvira said...

Perfeito. Como sempre. :-)

 
At 3/10/07 14:33, Anonymous scalabis said...

Começa a ser viciante ver as suas criações! Eu que não sou muito adepto de carne confesso que me estou a babar! Parabéns!

 
At 3/10/07 15:11, Blogger Marizé said...

Que delicia.
Obrigada por me convencer que o acém pode ser tão bom como o lombo, pois tb me custa muito largar uma nota preta por um bifinho.

 
At 3/10/07 16:52, Blogger Goretti said...

Deve ter ficado magnífico.

 
At 3/10/07 19:17, Anonymous Eduardo Luz said...

Muito bom o teu blog e as tuas receitas. Eu gostaria de utilizar as mesmas e se possível, linkar o Avental lá no meu blog. Inclusive, acabei de postar e uma das receitas que fiz era a Mil Folhas de Brandade de Bacalhau do filme Quem está matando os grandes chefes da Europa. Parabéns pelo blog !

 
At 3/10/07 21:24, Anonymous o avental said...

Eduardo Luz, não conheço o filme, nunca ouvira falar dele, nunca tinha comido nem visto este mil folhas. Imaginei-o a partir de uns pimentos de piquilho que comi recheados com brandade de bacalhau. Só espero que essa receita do filme não seja com massa brick Enfim, estou sempre a inventar a pólvora sem fumo :)

Pode utilizar as receitas que quiser, agradecendo, no entanto, a referência da origem com um link a este blogue.

Também gostei da qualidade do seu e vou arranjar igualmente uma ligação. Isto não é troca de figurinhas :)

 
At 3/10/07 21:43, Blogger Mucha said...

O que parece mal é, depois desta descrição tão apetitosa, não experimentar um dia destes !!! hihih

 
At 4/10/07 08:50, Anonymous avental said...

Obrigado, Elvira. Nós temos mesmo que comer e fazemos um sacrifício danado para isso :)

 
At 4/10/07 08:54, Anonymous avental said...

Scalabis, eu sou mais de carne puxa carroça :) Mas ando há um tempão a pensar como hei-de fazer uns filetes de linguado à "nouvelle vague" e até já pensei no tempero: molho de manteiga e vinagre de framboesa. Veremos quando será.

 
At 4/10/07 09:00, Anonymous avental said...

Marizé, garanto-lhe que é um boa troca, nem que fosse ao mesmo preço do lombo. Mas repare como o acém deste bife tem uma rede de fios fininhos de gordura, a par de outros mais grossos. Tem obrigatoriamente de ser assim, para ser tenro e saboroso.

 
At 4/10/07 09:01, Anonymous avental said...

Goretti, pode experimentar à vontade, seguindo o conselho que dei à Marizé.

 
At 4/10/07 09:31, Anonymous o avental said...

Mucha, já estou a imaginá-la a fazer sopinhas no molho :)

 
At 5/10/07 00:11, Blogger Caiano Silvestre said...

Tenho um problema.

Gosto de dar nota de que li e gostei do que li.

Quando o meu leitor de feeds me sugere que venha aqui é certo e sabido que venho.

E fico com (tenho agora) um problema.

É o de não querer ser repetitivo.

Gosto do que aqui se imagina, fico com água na boca sempre que aqui venho, gosto da maneira como é exposto, gosto da escrita límpida do blogueiro e só não tenho inveja porque é feio e, dizem, até é pecado, senão tinha.

Pronto. Resta-me repetir-me.

Grande blogue.

 
At 5/10/07 15:48, Anonymous Eduardo Luz said...

Avental, grato por ter passado lá ( e gostado) e por ter me linkado aqui também. Quanto a dúvida sobre a receita, a diferença pra sua é que a brandade é feita somente de bacalhau dessalgado, desfiado e cozido, creme de leite fresco, salsinha, sal e pimenta do reino e a partir daí, é montada com camadas alternadas de massa phillo e brandade como a sua. A minha única dúvida é : massa brick é igual a nossa phillo ? E tem mais, você detectou uma troca pois a receita seria com mil folhas mas como eu não tinha em casa, acabei usando a phillo e ficou bom do mesmo jeito. Boas receitas e o teu blog é bom mesmo, não é troca de figurinhas !

 
At 5/10/07 23:21, Anonymous o avental said...

Caro Caiano Silvestre, isto é um entretimento, bem melhor seria se pudéssemos partilhar do que faço. A Net aproxima as pessoas, mas mantêm-nas afastadas, isto é só um paradoxo aparente. Um dia abro um restaurante na blogosfera :)

 
At 6/10/07 00:13, Anonymous avental said...

Eduardo Luz, a massa brick deve ser 3 vezes mais grossa do que a filo, ainda que seja fina. Tem sobre a massa filo uma vantagem para este prato, que é a de ser bastante mais crocante. É a massa que normalmente faz as chamuças.

Já fico mais descansado com as diferenças. Tive foi a mesma ideia que o cara do filme, mas com matérias-primas diversas.

 
At 6/10/07 12:22, Blogger Lídia said...

Olá Avental :)

Estive a "saborear" as suas últimas criações e resta-me continuar a dar-lhe os parabéns porque é tudo tão delicioso e requintado, como sempre.
Abraço

 
At 6/10/07 23:54, Anonymous o avental said...

Quando surge o seu nome, Lídia, faz-me sempre lembrar as odes de Ricardo Reis em que ele entra, e imagino os gostos exóticos do seu blogue (vi lá agora os rolinhos e os muito aromáticos pistácios - tanto quanto n\ao saberem a quase nada os que aqui chegam, sobretudo oriundos da Califórnia).

 

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home